domingo, 21 de junho de 2020

Inverno com Falsa Mirra -Tetradenia riparia ( Elixir e Essencia Floral)

Bem-vindo inverno!?










Para muitos o inverno é sinônimo de sofrimento, mas quando passamos a olhar os ciclos da natureza e respeita-los, passamos a entender melhor sua importância e com podemos aprender com ela.

É tempo de recolhimento, introspecção, aprendizagem, de estruturar nossos alicerces, de calma e paciência, claro que no ritmo que vivemos hoje em dia, isso tudo parece meio impossível, mas é exatamente isto que precisamos aprender, como a natureza faz! e nossa primeira lição é entender que somos parte dessa natureza cíclica.

Essa planta - Tetradenia riparia é uma daquelas plantas que aproveita os ciclos para aprender com eles, uma planta que não sofre mais com o inverno, hoje ela já exala seu perfume através de suas flores em pleno inverno. Povos antigos como indígenas já observavam como os ciclos , as plantas e as estações poderiam auxiliar através dos simples rituais ate a medicina xamânica.

A energia das suas flores são a luz necessária para limpar e iluminar nossa conexão angelical, é um período que precisamos de proteção divina elevando nossa consciência, pois podemos estar mais sensíveis no modo sobrevivência mais aflorado.


Duas dicas para se beneficiar da força cósmica utilizando a falsa mirra (Tetradenia riparia)

ELIXIR

Você precisa:

Uma pequena florescência (buque) da planta

50 ml de álcool de cereais

1 litro de agua pura filtrada

1 garrafa vidro transparente

1 cristal ou quartzo translucido


Coloque as flores em 50 ml de álcool de cereais

Deixe por 24 horas em local escuro


Filtre e guarde o liquido em um frasco limpo

Coloque o cristal  de quartzo dentro da garrafa com água e adicione 7 gotas da tintura.

Deixe a garrafa tapada no sol das 11:30 as 12:30

Tome água ao longo do dia. Refaça o preparado quando se sentir desamparado, falta de energia ou desprotegido, inseguro ou ameaçado.

ESSENCIAL FLORAL 

Você precisa:

Uma pequena florescência (buque) da planta

Um bow the vidro 

500ml de água pura filtrada

1 garrafa vidro transparente

1 cristal de quartzo 

Coloque no bow de vidro as flores (preferencialmente sem tocar nelas)

Utilize o auge da florescência 

Cubra com agua pura ou de fonte (300 a 500ml)

Deixe exposto ao sol entre 11:00 as 13:00, essencialmente ao lado do pé da planta em um dia ensolarado ou limpo.

Filtre a solução ensolarada e acondicione em um frasco de vidro âmbar esterilizado.

Adicione a solução ensolarada a mesma quantia de brandy ou álcool de cereais.

Para preparar seu floral :

Em um frasco âmbar de 30ml adicione:

   (30% brandy ou álcool de cerais    +  7 gotas do floral do estoque + 1 cristal de quartzo +  70% de água pura)

 9 ml de brandy ou álcool de cerais  + 7 gotas do floral do estoque + 1 cristal de quartzo e  complete com água pura.

Basta gotejar 4 gotas 4 vezes ao dia diretamente na boca ou garrafas d'agua, sucos.

Também pode ser feito um borrifador na mesma proporção para limpeza da aura, harmonização dos chacras ou ambientes.

Utilize quando sentir sentir desamparado, falta de energia ou desprotegido, inseguro ou ameaçado.


Tetradenia riparia
Família: Lamiaceae

Género: Tetradenia

Tetradenia: possui quatro glândulas
Riparia: cresce em bancos de rios

Esta planta exótica é popularmente conhecida como falsa-mirra, pluma-de-névoa.

Arbusto originário da Africa do Sul, com alcance médio de 1,20 – 1,60m de altura, com folhas largo-ovaladas, denteadas e espessas (sua textura é facilmente identificada ao toque, além de deixar um forte cheiro pegajoso na ponta dos dedos devido à grande quantidade de moléculas e ceras impregnado em suas folhas).

Seu óleo essencial possui variadas moléculas conforme cultura do cultivo, mas componente majoritário do óleo essencial das folhas, independente dos tratamentos a que as plantas foram submetidas foi o hidrocarboneto sesquiterpênico 14-hidróxi-9-epi-(E)- cariofileno, substancia estudada com excelentes resultados antimicrobianos.

Os povos do tribo Zulu da África do Sul usam esta planta para dores de estômago, febre de dengue, gripe, diarreia e contra malária, além disso a inalação do perfume das folhas esmagadas aparentemente alivia dores de cabeça. Estudos caracterizam-na como planta medicinal, descrevendo suas propriedades como: anti-inflamatórias, analgésicas, antiblenorrágicas, antidiarreicas, anti-sépticas, diuréticas, estomáquicas, febrífugas, vermífugas. O uso de suas folhas é indicado em casos de abscessos dentais, angina, celulite, dor de cabeça, dores em geral, febre, malária, gastroenterite, repelente (traças, ácaros, mosca branca).

Possui numerosas inflorescências de forma adensadas, longas, recurvadas e ficam dispostas acima da folhagem. Suas flores são muito pequenas, com cores que variam do branco ao róseo-creme e são muito perfumadas. O período de florescimento se dá nos meses de inverno.

As indicações acima não são recomendadas a grávidas, lactantes e não deve ser substituído em nenhuma forma de tratamento medica. Esta essencial floral é natural auxiliando o ser humano de forma holística e sutil, assim não substitui qualquer procedimentos clínico nem medicações clinicas.


Terapeuta Naturopata Adriano Brasil - CRTH 2483

www.astralaromas.com.br - Perfumaria Botânica / Aromaterapia / Naturopatia


Referencias

http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/330552/1/Santos_AlineFrancielleDaSilvaDos_D.pdf

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0100-83582018000100266&lng=en&nrm=iso&tlng=pt



quarta-feira, 17 de junho de 2020

Akar Osmanthus Perfume Botânico



Umas das 10 flores tradicionais da China o Osmanthus traz um aroma floral fruta e levemente especiado que toca nossos sentidos gentilmente.

Além de serem cultivadas em meio aos templos budistas suas flores são usadas em blends para harmonizar chás

Extraído das Flores amarelas o Osmathus se torna um absoluto muito rico na perfumaria. Suas notas macias e adocicadas ajudam nas composições frutadas, bem como ambarados deixando um toque de damasco seco.

Seu perfume ajuda elevar estados de depressão e até certos níveis de ansiedade.

Com nossa composição Akar Osmanthus podemos alinhar nossos chacras simplesmente utilizando este perfume nos pulsos e inalar profundamente por três vezes em estado meditativo. Uma combinação do próprio osmanthus, sândalos, resinas e outros extratos especiais para este propósito.


Akar Flores Raras - Perfumes Botânicos e Artesanais Personalizados 

domingo, 14 de junho de 2020

A Perda do Olfato O Que É?



A olfação é o primeiro órgão dos sentidos a se desenvolver embriologicamente. É
um dos fatores que permitem ao ser humano compreender e se relacionar com o meio
ambiente, sendo importante para uma boa qualidade de vida. Além disso, serve como
importante instrumento de alerta contra incêndios, escapes de gás e alimentos estragados.
Sua disfunção acarreta importantes perdas sociais, principalmente em bombeiros,
empregados de empresas de perfumes ou gourmets. A sua ausência ou alteração dependem
do estado anatômico do epitélio nasal e dos sistemas nervosos central e periférico.
Mínimas alterações na olfação pode ser um sinal precoce em desordens
neurológicas como na doença de Alzheimer e de Parkinson.

Perda olfativa
A perda de olfato é o tipo mais comum de distúrbio olfativo. A anosmia é o termo médico para a ausência do olfato, enquanto hiposmia refere-se a um olfato reduzido. O ponto em que a hiposmia se torna anosmia e vice-versa não é exatamente claro, no entanto. Existem muitos graus de perda olfativa; algumas pessoas a perdem completamente e de repente, enquanto outras a experimentam gradualmente ao longo do tempo, às vezes sem perceber que está se deteriorando. Algumas pessoas nascem sem um olfato - isso é conhecido como anosmia congênita.

Anosmia é considerado uma condição rara, mas provavelmente é mais comum do que muitas pessoas pensam. Vários estudos realizados em vários países para tentar estabelecer a prevalência de perda de olfato sugeriram que entre 0,1% e mais de 5% das pessoas são anosmáticas e até 50% sofrem hiposmia. Obviamente, os resultados variam de acordo com quem foi pesquisado em cada estudo, mas, considerando tudo isso, talvez seja razoável dizer que potencialmente cerca de 5% da população tem anosmia ou hiposmia grave.

Distúrbios olfativos qualitativos
Esses geralmente são efeitos colaterais da perda olfativa, e não condições por si só. Parosmia refere-se a distorções do sentido do olfato, onde um odor pode ser percebido, mas não cheira da maneira que deveria (geralmente desagradável). Fantosmia, como o nome sugere, refere-se a cheiros "fantasmas"; ser capaz de detectar um odor quando não há cheiro real.

Causas de Distúrbios Olfativos
Distúrbios nasais e alergias - 70% *
Esse grupo de condições é responsável pelo que os médicos chamam de "perda olfativa condutiva"; obstrução no nariz que impede que moléculas odorantes atinjam os neurônios do receptor olfativo. Todas as seguintes condições se enquadram nessa categoria:

Rinossinusite Crônica
Septo desviado ou corpo estranho que obstrui o fluxo de ar
Rinite alérgica causada por pólen, poeira, pelos, etc.
Perda olfativa pós-viral  11% *
Provavelmente, é seguro dizer que todo mundo perdeu o olfato por curtos períodos durante a vida, quando teve resfriado ou gripe. Os vários vírus que causam o resfriado e a gripe comuns podem danificar e interferir no epitélio olfativo, o revestimento na parte superior do nariz que contém as células receptoras olfativas.

Perda olfativa pós-traumática 5% *

Ferimentos na cabeça podem resultar na perda do olfato. A extensão dessa perda pode depender não apenas da gravidade da lesão, mas também da parte da cabeça danificada. Lesões nas costas ou nas laterais da cabeça têm mais probabilidade de resultar em perda de olfato, pois o impacto pode causar colisão do cérebro com a parte interna da frente do crânio. Isso pode causar danos não apenas ao próprio cérebro, mas a outras partes do sistema olfativo, como o nervo olfativo.

Anosmia idiopática 6% *
Refere-se a pacientes nos quais, após testes extensivos, não há causa para a perda do olfato. É importante que esse diagnóstico seja feito somente após a realização de exames de sangue e exames cerebrais.

Anosmia congênita 1% *
Ocasionalmente, as pessoas nascem sem olfato. Por que isso acontece não é bem compreendido. Às vezes, isso pode fazer parte de uma condição chamada síndrome de Kallmann, que inclui a falta de produção de hormônios na hipófise devido a um defeito na parte do cérebro chamado hipotálamo. Alguns anósmicos congênitos podem, no entanto, ter a perda do olfato isolada. Também existem pessoas que podem acreditar que não têm olfato desde o nascimento, mas talvez o tenham perdido em tenra idade devido a um vírus ou pancadas na cabeça.

Causas mais raras
Outras causas mais raras para a perda de olfato incluem:
Exposição a toxinas
Iatrogênico (causado por tratamento médico)
Derrame
Tumores
Outras queixas médicas - diabetes, insuficiência renal
Mal de Parkinson
Doença de Alzheimer
Epilepsia
Abuso de drogas
Alcoolismo crônico

Muitas pessoas consideram seu olfato garantido. No entanto, perder apenas um pouco do olfato pode afetar sua qualidade de vida, resultando em sentimentos profundos de perda e, em alguns casos, isolamento e depressão

Neste momento de pandemia, acometido ou não pelo COVID-19 é muito importante mencionar uma mudança no seu olfato para o seu médico, a fim de determinar sua causa e possíveis resultados. Uma mudança no sentido do olfato pode ser resultado de um vírus ou trauma físico ou um indicador precoce de outras doenças.    

Há muitas questões a serem avaliadas pelo médico quando a falta do olfato é percebida, da falta de  vitaminas, uso de remédios, bem como sazonalidades e até mesmo questões emocionais  devem ser observados.
 Vimos anteriormente que a perda de olfato está entre os sintomas do COVIDA-19 e neste caso devemos seguir a orientação da organização mundial da saúde, bem como um acompanhamento médico após a recuperação.
Segundo professor Prof Claire Hopkins,
"dado o potencial de COVID-19 apresentar anosmia e os relatos de que o uso de corticosteroides pode aumentar a gravidade da infecção, desaconselhamos o uso de esteroides orais no início de novos tratamentos de anosmia durante a pandemia, principalmente se não estiver relacionado a traumatismo craniano ou patologia nasal (como pólipos nasais)"

É possível que, se algum adulto com anosmia, mas nenhum outro sintoma foi solicitado a se auto-isolar por sete dias, além dos critérios atuais de sintomas usados ​​para desencadear a quarentena, poderemos reduzir o número de indivíduos assintomáticos que continuam agir como vetores, sem perceber a necessidade de isolamento.


Acompanhe as próximas postagem para saber como podemos fazer o treinamento olfativo e outras técnicas em favor ao estimulo e recuperação do olfato.





   
Fontes
* Os números apresentados acima provêm do estudo de 2004 de Damm et al: Disfunções olfativas. Epidemiologia e terapia na Alemanha, Áustria e Suíça. Este é um estudo freqüentemente citado realizado em vários hospitais em três países europeus diferentes. 
Prof Claire Hopkins, BMBCh, MA FRCS(ORLHNS) DM(Oxon)
forl.org.br/AlexandreAkio
https://www.fifthsense.org.uk/

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Coisas de Nariz - Cheiro de Pobre

Aquele cheiro / perfume/ aroma que no mínimo te entrega!

Essa engenhosa ação cognitiva, e claro, entre outras faculdades neurológicas que maravilhosamente se integram em nosso sistema límbico nos dando capacidade de sentir, agir, reconhecer, memorizar e por fim refletir, isso tudo a partir do nosso olfato.

Nesta cena do filme parasita, além de destacar a segregações e estigmas sociais, um exemplo claro e um tanto constrangedor. 

Será que você teria levantado suspeita sobre a família que cheira  pobreza?


quarta-feira, 27 de maio de 2020

Perda do Olfato ( Anosmia) - Sintomas do Covid19

                      Bulbo olfativo – Ilustração: Cleber Siquette/ Jornal da USP

  Juntamente com febre, tosse e falta de ar - muitos pacientes com coronavírus (COVID-19) relatam uma perda temporária do olfato ( anosmia), aparentemente a perda olfativa é significativamente maior em pacientes com COVID-19 em comparação com a perda que geralmente ocorre durante um resfriado e, menos comumente, em pacientes com influenza não com COVID-19. 

  A perda olfativa não era comumente relatada na cidade de Wuhan, China, onde ocorreu o primeiro surto de coronavírus. No entanto, estudos preliminares realizados em vários países, incluindo Israel e Irã, mostram que esse sintoma aparece em cerca de 60% dos pacientes. Os cientistas estimam que existem atualmente oito estirpes ativas do vírus, logo, acredita-se que a perda olfativa pode ser um sintoma diferenciador das várias estirpes.


"Complicações que atingem o sistema nervoso central (encéfalo e medula espinhal) e o sistema nervoso periférico (gânglios e nervos) foram observados. A anosmia – perda da percepção de cheiro – e a disgeusia – diminuição do paladar – foram frequentemente relatadas por pessoas com a covid-19. “A série de casos relatados pelos chineses mostram que a prevalência dessas patologias é muito maior do que se achava em 2019”, conta ao Jornal da USP Marcus Vinícius Magno Gonçalves, neurologista da Univille e o último autor do paper.

A hiposmia – redução do olfato, também tem chamado a atenção da comunidade médica. Em um estudo europeu publicado em abril de 2020, descreveram disfunções de olfato e paladar cerca de 86% e 88% dos 417 pacientes infectados. Dentre eles, cerca de 13% relataram fantosmia (alucinação olfativa) e 32% tiveram parosmia; de todos os 76 pacientes que não apresentaram obstrução nasal ou rinorreia (corrimento nasal excessivo), quase 80% apresentaram anosmia ou hiposmia. “O que nos intriga é que, de todos os pacientes que tiveram neuropatia olfatória, apenas 40% ficaram curados após 30 dias do início dos sintomas”, afirma Marcus Gonçalves."


  Inicialmente a OMS não havia incluído a perda do olfato ou paladar entre os possíveis sintomas do COVID-19, contudo vários situações ao redor do mundo mostraram que pessoas infectadas poderiam ter recebido atendimento com antecedência, principalmente para seguir os procedimentos necessários como isolamento.
 No Brasil o Ministério da Saúde incluiu a perda do olfato e paladar na lista, indicados como sintomas menos comuns e assim como em outros países devem ser acompanhados em casa.
  É necessário lembrar que podem ser sintomas do COVID-19, bem como por outras razões mais comuns a esta situação, como por exemplo , resfriado ou gripe.
Até mesmo a Inglaterra incluiu a perda do olfato ou paladar na lista de  sintomas do COVID-19 e juntamente com Estados Unidos e OMS indicam o teste, bem como isolamento por 7 dias.

Coronavirus key symptoms: High temperature, cough, breathing difficulties, loss of taste or smell


    Mas o que acontece com quem é acometido nesta situação?

  O Dr. Simon Gane e sua equipe apontam situações entre as mais comuns antes e depois da pandemia:

 Típicos - congestão, muco, gotejamento pós-nasal com ou sem febre e tosse molhada. Perda do olfato observada durante ou após a doença ter desaparecido, as vezes com fantosmia (cheiros fantasmas ou cheiros que não estão presentes) e parosmia (distorção de cheiros, o mais comum é café, cebola e frituras).

  Novo cenário com COVID-19 -  vias aéreas superiores excessivamente secas e dolorosas. Sensação de pressão, mas livre fluxo de ar. Às vezes a perda do olfato ocorre antes de outros sintomas.
Às vezes, a perda do olfato é repentina e dramática, com ou sem febre, tosse seca. Altera não apenas o cheiro, mas também o “sabor verdadeiro”: salgado, doce ou a incapacidade de perceber um ou outro. Alterações na quimestesia (não pode sentir a queimadura de pimenta ou cheiro de alvejante)

   Assim, é impossível julgar nas fases iniciais da recuperação da doença, o que acontecerá com o olfato. É necessário ter paciência e esperar, a maioria das pessoas recuperarão, pelo menos até certo ponto, parte de seu sentido olfativo e com isso irá recuperar o seu paladar. Algumas pessoas, no entanto, poderão ter perda do olfato durante um período longo ou até anos. 

  Vale lembrar que tudo é novo em relação a esta infecção e muitos dados científicos ainda revelarão muito nos tratamentos de pessoas acometidas. É importante lembrar também, que já existem métodos e tratamentos que auxiliam pacientes que sofrem de anosmia e suas variações e que muitos deles tem apresentado ótimos resultados, da mesma forma seguir orientações com a devida orientação profissional, como ótima dieta alimentar, hidratação, descanso e bom sono, também no que se refere a uso de descongestionantes nasais, inalações e talvez o mais importante, o treinamento olfativo que funciona como uma fisioterapia do nariz.

   Falaremos sobre o treinamento olfativo com mais detalhes em um novo post abordando também anosmia e suas variações.


terça-feira, 12 de maio de 2020

Coisas de Nariz - Exagero no Perfume

Quando suas convicções te enganam, mas não enganam o nariz dos outros...
O cara usa "aquele perfume" acreditando que será fatal na conquista...
Agora pensa em algo subjetivo, e nunca esqueça do olfato!


Coisas de Nariz é uma forma de exemplificar situações e casos que normalmente um nariz (Perfumista) sabe ou percebe, muitas vezes engraçadas ou embaraçosas, outras até mesmo científicas.

Adriano Brasil
Perfumista Botânico 
Terapeuta Naturopata

terça-feira, 14 de abril de 2020

Gratidão no Isolamento

Um dos princípios do reiki é "só por hoje sou grato"
Na prática da gratidão para felicidade utilizamos a gratidão a qualquer momento.
Em tempos de isolamento por causa do Covid19, os reflexos deste isolamento tem se mostrado muito difícil na vida de muitas pessoas.
A prática da gratidão tem enorme valia, pois nos ajuda encontrar harmonia para nosso ambiente, nossa mente, emoções e energia que precisamos.
A gratidão pode estar em tudo, principalmente nas pequenas coisas.
Com a prática passamos a entender que, muito do que valorizamos não passa de um domínio da nossa atenção, logo aprendemos que podemos sentir imensa gratidão pelas coisas que realmente enobrecem nossa vida e este sentimento faz total diferença em nossa estrutura diante deste enfreamento.



Sou grato pela paz e saúde da minha família!

Pelo que você é grato hoje?

Para saber mais sobre a Gratidão e seus benefícios veja: